sábado, 8 de maio de 2021

MINHA HISTÓRIA COM A INTERNET



Em 1996, logo após os primeiros portais de internet se estabelecerem no Brasil, fui indicado pelo amigo José  Roberto de Oliveira Prado para implantar uma plataforma de BBS (Bulletin board system) para  World Access Communications do Brasil (WAC), uma empresa que atuava no mercado de ligações telefônicas internacionais pelo processo de Call Back.

Na entrevista, com a diretoria, propus apresentar um projeto para implantação de um provedor de acesso a internet e que desistissem da ideia de BBS pois, a Internet rapidamente tornaria a BBS obsoleta. Minha proposta foi de apresentar um Business Plan para o serviço e que estaria pronto em uma semana. O que eu sabia sobre internet era o básico, o que todos os primeiros usuários sabiam, e os meios de pesquisa, na própria internet (discada) eram precários e lentos. Por insistência, nas poucas horas da noite em que tinha a linha telefônica livre para acessar a internet com velocidade máxima de 9.600bps ( eu ainda não tinha modem de 14.400bps), consegui achar um documento da EMBRATEL, que tratava da construção de  provedores de internet.  Após algumas noites de trabalho elaborei um documento, visando os aspectos técnicos, práticos e financeiros, para a montagem de um provedor de acesso e conteúdo. 

Após apresentar o projeto a diretoria da WAC fui contratado imediatamente, com o aceite de todos os requisitos técnicos e financeiros para a implementação do projeto. Confesso que o frio bateu na espinha pois eu nem tinha domínio sobre redes IP, trâmites para contratação de infraestrutura de telefonia, de links para internet, servidores, etc. Claro, tudo isso teria que ser aprendido rapidamente e as próximas semanas seriam de pesquisa intensa sobre a tecnologia, equipamentos, modelo de negócio e etc.

Após as pesquisas, iniciaram as etapas práticas de preparação do local para o provedor, contratação de linhas telefônicas, link(s) de internet, inicialmente um link de 64Kbps com a Embratel, treinamento da equipe de vendas, contratação de técnicos, visita a fornecedores e compra de equipamentos, preparação de manuais, material publicitário e muitos outros detalhes.

Finamente, ainda com poucos recursos, o provedor foi inaugurado e contava com  32 linhas telefônicas providas de modens Total Control da US Robotics, um link de 64 Kbps para a internet, um Roteador CISCO, um computador Pentium 133 rodando Windows NT, para autenticação de clientes, hospedagem da página da empresa e e-mails de clientes.


O início do provedor WAC

O provedor foi evoluindo, assim como a plataforma de clientes, e serviços disponíveis. No momento de meu desligamento a WAC contava com aproximadamente com cinco mil clientes, muitos deles corporativos  e 30 franquiados em todo o Brasil conectados à matriz através de linhas privadas de dados. A infraestrutura já contava com link de internet de 2 Mbps, Linhas telefônicas digitais, através de modens ADSL, e um link de 256Kbps em fibra ótica com a filial World Telecom em Miami, este destinado exclusivamente a telefonia internacional via VoIP (Voice over Internet Protocol) e Frame Relay.

Em termos de equipamento possuíamos modens digitais de 56Kbps, links em fibra ótica, switchs frame relay, Servidor SUN, PABX NORTEL, roteadores com maior capacidade de tráfego, inclusive entre clientes e a matriz, dentre outros.

Eu tinha um link de dados entre o CPD da WAC e minha casa, onde eu podia monitorar e intervir nos equipamentos e serviços.  Este link foi feito através de uma linha privada de voz, contratada da Telesp conectando dois modems US Robotics Courier V92 de 56Kbps. Foi uma solução simples e barata para me manter conectado 24 horas por dia.


Modem US Robotics V92



Desenvolvemos alguns equipamentos para a integração dos serviços de telefonia internacional, tornando o  acesso do cliente inteiramente automático e transparente, cartões para telefonia internacional, unidades de resposta audível, totens de internet pré-paga, dentre outros.

O serviço evoluindo, assim como os equipamentos


A evolução do CPD da WAC


Switch Frame Relay Nortel

Frame Relay Access Device Micom da Nortel, usados para comunicação de voz sob Frame Relay .

Servidor SUN.


Reportagem na revista Veja, sobre os serviços de telefonia internacional.

Exposição em feiras de franquias.

Palestra sobre telefonia via Internet

Totem de acesso a internet pré-paga, primeira versão (protótipo).

Totem de acesso a internet pré-paga, versão final.
O navegador eu fiz em Visual Basic.

Nosso lado de Miami. Switchs telefônicos da Siemens.



Assistindo a partida Vasco x DC United em Fort Lauderdale (EUA). Fornecemos o link para a transmissão da partida para rádios no Brasil.

Torre da Embratel, no Brooklin, de onde vinha nosso link de internet e outros dedicados. Tinha 110 metros de altura. Subi uma vez nela para fazer um teste de visada.
Montando dispensadora de cartões para internet pré-paga


 Feira ABF  de franquias em São Paulo




Ainda trabalhando da WAC, fui convidado para trabalhar na construção de um outro provedor de acesso à internet em São Paulo. Desta vez foi a Conexion, empresa de telecomunicações já consolidada em serviços de acesso a internet com sede no Paraguai. www.conexion.com.py

Mais uma vez o local, onde seria construído um teleporto começou do zero com o aluguel de um andar na cobertura de um edifício na região da Av. Berrini em São Paulo.

O Projeto teve como base a construção de  uma rede, via satélite, conectando São Paulo a San Jose nos  EUA e Asuncion no Paraguai. O projeto inicial contemplaria somente um provedor de acesso a internet e nada mais. 

Em minha entrevista para admissão, com a participação do presidente de empresa e toda a equipe de projetos, apresentei um plano para implantar um gateway para o fornecimento de serviços de telefonia internacional para grandes empresas em São Paulo, esta experiência eu trazia do trabalho na WAC. 

Fui admitido e viajei imediatamente, para Asuncion, onde apresentaria o plano para outros departamentos da empresa. O plano foi aprovado e de lá partimos para New Jersey (EUA) para a sede da BELL LABS / LUCENT, onde fizemos muitas reuniões sobre o fornecimento de Switchs,  Roteadores e gateways para promover o serviço de VOIP (voz sobre IP).

A montagem da sede em São Paulo, incluindo CPD, teleporto, administração e vendas, seguiu com um cronograma apertado e com muito trabalho coordenado entre São Paulo, Asuncion e San Jose, foi concluída em tempo recorde. 

Dois dos primeiros clientes da Cnexion em São Paulo forma a A. P. Moller-Maersk Group (Maersk), o CENU (Centro empresarial Nações Unidas) e o World Trade Center.

Curiosidades:  

O início do site Mercado Livre  foi em uma sala no mesmo edifício, abaixo do nosso andar. O pessoal do Mercado Livre nos consultou para o fornecimento de acesso a internet. O pedido foi negado, pois naquele momento, estávamos com nosso link de satélite comprometido com o fornecimento de telefonia internacional para nossos clientes.

Foi no CPD da Conexion que passei a virada e primeiras horas do ano 2000, monitorando os equipamentos para prevenção de problemas com o Bug do Milênio.

O satélite usado pela Conexion era o Solidaridad 1 da Satmex mexicana. Este satélite sumiu da orbita e nos forçou a reposicionar as antenas em São Paulo, Asunción  e San Jose, em apenas uma madrugada.

Segundo boatos um erro no centro de controle do satélite no México inutilizou o Solidaridad 1, 

Isso foi em 2000, de acordo com os boatos,  alguém disparou  acidentalmente um propulsor de correção de orbita do satélite e não conseguiram realinha-lo novamente, o jeito foi reconfigurar tudo para outro satélite, o Solidaridad 2. Nosso dilema foi o ângulo da antena, pois ela quase esbarrava na parede do edifício. Depois de uma madrugada inteira de trabalho, tudo deu certo.

Notícia sobre o ocorrido, na época: spaceflightnow.com



Sede da Conexion no Paraguai


Bell Labs / Lucent - New Jersey - EUA

Treinamento na Accent em San Jose - EUA

Início da montagem do CPD em São Paulo

Sala de monitoramento e controle do teleporto em São Paulo

Sala de monitoramento e controle do teleporto em São Paulo

Sala de monitoramento e controle do teleporto em São Paulo

Gerenciando os equipamentos do CPD de São Paulo

CPD da Conexion em São Paulo


Antena do teleporto de São Paulo, 4.5m de diâmetro




Ponto de venda de acesso a internet em Assuncion no Paraguai


Palestra na feira de telecomunicações Telexpo  em São Paulo - 1999

Na sede da empresa em São Paulo


Video da palestra na feira de telecomunicações Telexpo em São Paulo - 1999


Hall da sede em São Paulo




Em 2000 a Internet no Brasil já estava consolidada, porém, os links de comunicações eram caros e as velocidades altas eram proibitivas. 

Os provedores careciam de acessos velozes a backbones ou meios de armazenamento de sites em caches. Neste período surgiu nos EUA a Edgix, uma empresa com sociedade de norte-americanos e indianos, com objetivo de fornecer infraestrutura de satélite para aceleração de acesso em provedores de internet.

Fui convidado por um amigo, dos tempos da WAC, a fazer parte do quadro de funcionários da filial da Edgix no Brasil. Depois de uma entrevista, via telefone e em inglês, com a gerência para a América Latina da empresa em New York, fui aprovado para coordenar os trabalhos de implantação nos fornecedores de acesso a internet no Brasil.

Foi um período onde por meses eu fazia, pelo menos, dois voos por dia visitando clientes em todo o Brasil para cumprir uma agenda corrida de instalações e configurações dos sistemas de cache de páginas de internet.

Infelizmente a Edgix não sobreviveu a seu plano ambicioso de implantação de sistemas no mundo inteiro e encerrou suas atividades em 2021. No Brasil a Edgix teve clientes de peso como a UOL e TERRA.

Antena da Edgix instalada em um provedor em São Paulo

Configurando o sistema de cache em um provedor em São Paulo


Instalando uma antena de satélite em um provedor em Sta. Catarina

Direcionando uma antena de satélite

Na engenharia da Edgix em New York




Em 2001 abri a empresa Alldigital, para fornecer serviços de implantação de redes LAN e acesso a  Internet. 

Projetei e implantei redes para centros de exposição como o Centro de Exposições Imigrantes em São Paulo, hotéis como o Sete Voltas em Itatiba, indústrias e condomínios empresariais.


Primeiro site da Alldigital

Monitoramento de redes em condomínios empresariais


Montagem da estrutura para fornecimento de telefonia e internet na Bienal do Livro




Continua...














2 comentários: