30 maio 2024

AUTOMAÇÃO PREDIAL DE BAIXO CUSTO


Há algum tempo, analisando algumas alternativas de automação para condomínios residenciais, percebi que certas tarefas essenciais, para que o síndico possa monitorar e interagir, não estão presentes nos pacotes oferecidos por essas empresas de automação. Quando estão, utilizam equipamentos dispendiosos, softwares complexos e operações complicadas, dificultando o uso simples e objetivo por síndicos e profissionais de zeladoria, que muitas vezes não têm afinidade com dispositivos complexos.

Desenvolvi um software 100% personalizavel que, aliado a dispositivos de automação de baixo custo e de fácil aquisição e instalação, constituem uma ferramenta eficaz para que a administração tenha controle sobre os equipamentos e possa rapidamente tomar decisões e atuar de forma proativa e corretiva.

Os dispositivos podem ser instalados com pouca intervenção na instalação elétrica do condomínio, uma vez que a comunicação é feita através de uma rede WiFi, dedicada ou não, utilizando um protocolo de comunicação seguro.

O software de monitoramento e controle pode ser instalado em qualquer celular ou tablet e, através da Internet, a administração pode monitorar e interagir de qualquer lugar.

As imagens abaixo são do sistema instalado em um condomínio.

















06 abril 2024

CONSTRUÍNDO EQUPAMENTO DE ÁUDIO DE QUALIDADE


O conjunto da sala de estar


Sempre fui fascinado por áudio de qualidade e, em 1999, comprei alguns equipamentos que, na época, eram o melhor que meu dinheiro podia comprar:

- Receiver 5.1 Pioneer;

- Carrossel de CDs Pioneer;

- DVD Player Pioneer;

- Caixas 5.1 JAMO;

- Controle remoto universal Microsoft.

Juntando a eles, eu já possuía uma TV SONY Trinitron de 29" e um videocassete, também SONY.

Nesta empreitada, projetei e construí uma estante com prateleiras de vidro sustentadas por colunas de tubos de aço inox. A estante foi projetada de forma que a fiação passasse por dentro de um dos tubos, de modo que nenhum fio ficasse aparente. Havia também uma gaveta que comportava alguns CDs e DVDs.

Tudo ficou muito "Clean" e funcional.






Esses equipamentos me acompanharam até 2016, quando resolvi me desfazer de quase tudo, mantendo apenas o receiver e o conjunto de caixas.

Foi nesse período que decidi projetar meu próprio equipamento de som, de forma que fossem de qualidade e compactos.

Os equipamentos desenvolvidos foram:

  • Amplificador de dois canais de 2x25W
  • Pré-amplificador
  • Amplificador para fones valvulado
  • DAP com capacidade de streamer

O design dos gabinetes e painéis foi feito utilizando os softwares SolidWorks e CorelDRAW. As caixas metálicas foram adquiridas da metalúrgica NAOKO, e os painéis são em acrílico escovado, cortados e gravados a laser. A ideia era ter um design simples e funcional, com apenas o necessário para minha finalidade.

A eletrônica também seguiu o mesmo princípio, com circuitos e componentes eficientes e de extrema qualidade.

O resultado foi um conjunto de som de extrema qualidade, aliado a um design bonito, compacto e funcional.


Design dos paineis


Renderização no Solid Works


Paineis cortados, escovados, e gravados


DAP de alta resolução e Pré


DAP de alta resolução e Pré


Amplificador de fone classe A valvulado.

Testando a CPU e DAC do DAP com fone Sennheiser


Interior do protótipo do DAP

Todo o conjunto no rack

O sistema acrescido do tocadiscos Gradiente DD1


Protótipo de DAP

Cortando paineis em madeira, na versão inicial.


Testando a primeira versão do amplificador

Testando a primeira versão do controle via celular

conjunto quando ainda em desenvolvimento

Os equipamentos instalados




Player de áudio DAP de cabeceira




Tenho o hábito de desfrutar de música, podcasts e ocasionalmente documentários do YouTube durante as tranquilas noites no meu quarto. Inicialmente, costumava recorrer ao meu celular e fones de ouvido para isso.

Recentemente, decidi dar uso a alguns componentes guardados no meu estoque de "talvez um dia isso seja útil" e construir um player de áudio com praticamete a mesma configuração do DAP da sala de estar, para ser usado na mesa de cabeceira. Este dispositivo é capaz de processar arquivos armazenados em cartão SD ou pendrive, além de reproduzir streaming de plataformas digitais.

Estou bastante satisfeito com o resultado obtido.


Características:

CPU:                                         Raspberry PI 3B

DAC:                                         Keysion (Realtek ACL5686) - Até 32 Bits,384 kHz.

Display:                                    OLED 1.3 i2c branco.

Armazenamento interno:        256G.

Software:                                 Volumio Free 3.xxx, com alguns plugins  (www.volumio.com).

Controle:                                 Encoder com Push (Volume, pause, Stop, Play, Shutdown).

Gabinete:                                Case HD externo em alumínio anodizado, Laterais em madeira.

Formatos:                               mp3, ogg, oga, flac, opus, ogg, oga, wav, aiff, aif,au, paf, iff, svx, sf, 

                                                voc, w64,  pvf, xi, htk, caf, sd2, dff, dsf, aac, mpc, sds e outros.

Fontes externas:                   DVD*, DLNA, TIDAL*, QOBUZ*, Spotify*, Youtube, Youtube Music e outros.

                                               * com assinatura Volumio Premium.

Saídas:                                   Fone (dianteira), Aux (traseira).

Fones:                                    Sennheiser Momentum, KZ ZS10 Pro e KZ ZSN.


Com celular como dashboard interface de controle

Interface de controle do Volumio

Com fone Sennheiser






ainel traseiro
Durante o desenvolvimnto

Caixa de HD externo

Gabinete terminado

Furação traseira

Interface Manifest, no celular


Os fones alvos


LInha KZ


Para uma experiência mais confortável na cama, opto pelos fones intra-auriculares da marca chinesa KZ. Embora recentemente tenham surgido algumas discussões sobre a veracidade do número efetivo de drivers em seus modelos, posso afirmar que os exemplares antigos que possuo são confiáveis, oferecendo excelente qualidade e uma ótima relação custo-benefício. Atualmente, utilizo os modelos KZ-ZSN e KZ-ZS10 Pro. Ambos possuem um formato anatomicamente similar, porém há uma leve diferença na sonoridade entre eles. Especificações do KZ-ZSN: - Drivers: 1 dinâmico + 1 armadura balanceada - Impedância: 25 Ohms - Sensibilidade: 104 dB/mW - Resposta de frequência: 20-40 kHz Especificações do KZ-ZS10 Pro: - Drivers: 1 dinâmico + 4 armaduras balanceadas - Impedância: 30 Ohms - Sensibilidade: 110 dB/mW
- Resposta de frequência: 7-40 kHz Ambos modelos apresentam uma resposta de frequência equilibrada, embora o KZ-S10 Pro ofereça uma ênfase maior nos graves. A diferença perceptível entre os dois está na sensação de palco: o KZ-ZSN distribui os instrumentos de forma mais uniforme, proporcionando uma melhor percepção dos elementos à frente do ouvinte. Isso pode ser atribuído à disposição dos drivers dentro da estrutura.

A Audição e bastante satisfatória com graves profundos, agudos cristalinos e médios naturais e detalhados. A resoluçao é formidável fazendo você ouvir detalhes que antes não eram perceptiveis.
Ambos os fones combinam muito bem com o DAC Keysion com chip Realtek ALC5686que escolhi para compor o DAP.





KZ ZS10 PRO

1. Electronic crossover 2. Mid-frequency balanced armature*2 3. High-frequency balanced armature 4. Aluminum alloy mouth 5. High-frequency balanced armature 6. 10mm Double magnetic dynamic






Sennheiser Momentum 1 wired






Os fones de ouvido Sennheiser Momentum 1 Over-Ear são conhecidos por sua combinação de estilo elegante e qualidade sonora excepcional. Aqui estão algumas características principais:

Design Premium: Os fones de ouvido apresentam um design elegante e moderno, com materiais de alta qualidade, como couro genuíno e aço inoxidável, que oferecem durabilidade e conforto ao usuário.

ISOLAMENTO DE RUÍDO:     Os fones de ouvido Over-Ear oferecem um excelente isolamento passivo
DISTORÇÃO HARMÔNICA TOTAL (THD): 0.5%
RESPOSTA DE FREQUENCIA: 16 - 22000 Hz  
SENSIBILIDADE: 110 dB
IMPEDÂNCIA: 18 Ohm
MATERIAL DO ÍMÃ: Ímã de neodímio

Qualidade Sonora: Os Momentum 1 entregam uma reprodução sonora de alta fidelidade, com graves profundos e precisos, médios claros e agudos nítidos, proporcionando uma experiência auditiva imersiva.

Conforto: As almofadas auriculares macias e o arco acolchoado garantem conforto durante longos períodos de uso, tornando-os ideais para sessões de audição prolongadas.

Portabilidade: Apesar do seu tamanho, os fones de ouvido são relativamente portáteis e vêm com uma bolsa de transporte conveniente para facilitar o transporte e proteção quando não estão em uso.













02 outubro 2023

RADIOAMADORISMO


PU2YEO

Finalmente, me tornei um radioamador!


Depois do meu primeiro interesse pelo radioamadorismo no final da década de 70, finalmente decidi seguir em frente e completar todo o processo para obter a licença e homologar meus rádios.

Na década de 70, minha experiência mais próxima com esse mundo foi a aquisição de um transceptor portátil da faixa do cidadão, da marca Tokay. Esse interesse foi despertado devido à convivência com alguns engenheiros radioamadores na empresa onde trabalhei na época.

O rádio em questão possuía apenas um canal e entregava uma potência de apenas 0,25W. No entanto, isso era suficiente para que eu participasse de conversas locais na cidade de Santos. Você pode encontrar mais detalhes dessa história no tópico "O Início da Minha Jornada Profissional".

Recentemente, obtive a licença de Classe C para operação e estações fixas e móveis. Estou ansioso para escutar e aprender ainda mais, especialmente quando se trata dos modos digitais, que exigem um pouco mais de conhecimento técnico.


Minha "nanica" estação
HT  Baofeng DM-1701 e Hotspot MMDVM

O quadrinho com o indicativo na parede das celebridades





Os equipamentos escolhidos.

No passado, os equipamentos de radioamadorismo eram notoriamente caros, até mesmo os modelos mais simples de rádios portáteis. Como iniciante, optei por equipamentos portáteis, que oferecem muita flexibilidade.

Hoje, graças à facilidade de importação e à proliferação de fabricantes chineses, o acesso a equipamentos de qualidade tornou-se muito mais fácil. Optei por adquirir rádios da marca chinesa BAOFENG, que agora faz parte da Radioddity e tem uma presença significativa no mercado global, incluindo nos Estados Unidos. Eles oferecem uma ampla variedade de modelos, desde os mais básicos até os mais sofisticados, todos com preços acessíveis.

Não pretendo utilizar faixas de frequências que exigem antenas enormes e, por isso, escolhi operar nas faixas de VHF e UHF.

O primeiro modelo que escolhi foi o Baofeng UV-5R. Este é um transceptor portátil compacto que oferece uma potência de 4 watts nas faixas de frequência de 144-148MHz (para transmissão) e 420-450MHz, bem como 144-148MHz, 136-174MHz e 400-480MHz para recepção. Além disso, ele possui uma capacidade especial de recepção VHF na faixa de 65-108MHz, que inclui a transmissão FM convencional. Esse rádio suporta a função de escuta dupla e permite receber em duas frequências simultaneamente.



Baofeng UV-5R

O rádio é fornecido com uma antena flexível ANT5 SMA-J, uma bateria recarregável de íon de lítio BL-5 (7,4V, 1800mAh), um clipe para cinto, uma alça de pulso, um adaptador para rede elétrica e um carregador de mesa para maior comodidade.

Maiores detalhes sobre o UV-5R podem ser vistos aqui: www.radioddity.com


Após minha experiência inicial com o UV-5R, adquiri um modelo aprimorado que oferece a funcionalidade adicional de sintonizar as frequências de rádio da aviação, especificamente de 108,0 MHz a 135,95 MHz e também possui GPS.

Este novo modelo, conhecido como UV-17 PRO, destaca-se por sua robustez e versatilidade, além de ser facilmente recarregável através de uma conexão USB. Além disso, ele possui uma classificação de resistência à água, tornando-o adequado para uso em ambientes adversos.

Vale ressaltar que, até o momento, o site da Baofeng não disponibiliza informações detalhadas sobre o UV-17 Pro. No entanto, é importante notar que ele também é conhecido como UV-17R, sendo essencialmente o mesmo rádio, apenas com nomenclaturas ligeiramente diferentes.

UV-17R no site da Baofeng: www.baofengradio.com/products/uv-17r



A evolução para o digital


Depois de algum tempo com o UV-5R e o UV-17 PRO, comecei a estudar as modalidades digitais de radioamadorismo. 

O radioamadorismo digital é uma parte do radioamadorismo que utiliza tecnologia digital para comunicações por rádio. Em vez de usar os métodos tradicionais de comunicação analógica, como os sinais de rádio que ouvimos normalmente, os radioamadores usam formas digitais para transmitir informações. Isso pode ser feito através de aparelhos de rádio digitais ou até mesmo com computadores, interfaces de áudio e programas de computador específicos, e, em alguns casos, equipamentos especiais.

O radioamadorismo digital oferece algumas vantagens importantes. Ele usa o espectro de frequências de forma mais eficiente, tornando a comunicação mais eficaz. Também é mais resistente a interferências e permite a comunicação em situações difíceis. Além disso, muitos radioamadores usam essa tecnologia para realizar experimentos técnicos e pesquisar sobre comunicações por rádio. No entanto, é importante notar que o radioamadorismo digital requer um conhecimento técnico mais avançado.

A comunicação digital geralmente produz uma qualidade de áudio mais clara e nítida, mesmo em áreas com ruídos ou interferências.

Os sinais digitais ocupam menos espaço na banda de frequência do que os sinais analógicos, o que significa que podemos ter mais canais de comunicação na mesma faixa, o que é útil quando muitas pessoas estão usando a mesma frequência.

Em sistemas de rádio VHF digitais, há frequentemente recursos de criptografia, o que torna a comunicação mais segura e protege contra pessoas não autorizadas que tentam ouvir as conversas, como acontece na comunicação da polícia.

Os rádios digitais oferecem uma variedade de recursos avançados, como envio de mensagens de texto, rastreamento de localização via GPS, chamadas em grupo e chamadas privadas, além da capacidade de integração com sistemas de dados.

Em geral, os rádios digitais são mais eficientes em termos de consumo de energia, o que significa que a bateria dura mais tempo do que nos rádios analógicos.

Os rádios digitais são mais resistentes a interferências e ruídos ambientais, garantindo comunicações confiáveis mesmo em condições desafiadoras.

Além disso, os rádios digitais costumam permitir a comunicação analógica, o que facilita a transição entre os métodos de comunicação analógica e digital.

Os rádios VHF digitais são usados em diversos setores, como serviços de emergência, forças armadas, segurança pública, empresas de transporte e logística, construção civil e muito mais, onde a comunicação confiável é essencial.

Ainda com a prerrogativa de usar equipamentos baratos da marca BAOFENG resolvi adquirir uma modelo digital da mesma marca. O modelo escolhido foi o DM-1701, um equipamento com uma excelente relação custo/benefício que opera, com o protocolo DMR.


DM-1701

O DM-1701 possui a capacidade de update e upgrade de firmware, permitindo a utilização de firmwares desenvolvidos por terceiros. Este é o caso do firmware OpenGD77.

O OpenGD77 é um firmware de código aberto alternativo desenvolvido para rádios que utilizam o chipset TYT MD-380/390 ou Retevis RT3/RT8. Especificamente, ele é projetado para substituir o firmware original desses rádios, oferecendo recursos e funcionalidades adicionais.

Maiores informações sobre o DM-1701 pode ser obtida aqui: www.radioddity.com

Site do OpenGD77: https://www.opengd77.com/



A rede digital para radioamadores BrandMeister


A rede BrandMeister é uma rede mundial de repetidores digitais projetada para sistemas de comunicação digital de radioamador, como DMR (Digital Mobile Radio) e outros modos digitais. Ela foi criada para fornecer uma infraestrutura confiável e interconectada para radioamadores em todo o mundo. 

A rede BrandMeister interconecta repetidores digitais em todo o mundo. Isso significa que os radioamadores podem usar repetidores BrandMeister em diferentes países e continentes para se comunicar sem problemas.

A rede mundial BrandMeiter é um modelo de comunicação que inclui o acesso via RF, Internet e rede própria. Este tema merece um tópico exclusivo e será postado oportunamente.


Rede mundial BrandMeister


Radioamadorismo, um hobby ativo, ainda, nos dias de hoje


Ainda me lembro claramente, como se fosse hoje, de como costumava passar horas à noite sentado na beira da minha cama nos anos 7. Naquela época, eu ficava lá com meu rádio Tokai TC-502, sintonizado no canal 7 (27.035Mhz) da faixa do cidadão, conversando com pessoas que estavam transmitindo. Meu modesto transmissor tinha apenas 0,25 watts de potência.


Tokai modelo TC-502, que possuo ainda hoje



Minha "estação" era bastante simples, composta apenas pelo rádio portátil, uma fonte de 12 volts improvisada com peças de sucata e uma antena feita a partir de um pedaço de fio esticado pela janela.

Hoje em dia, o radioamadorismo ainda mantém parte do seu charme e exclusividade daquela época, mas os equipamentos são muito mais modernos e cheios de recursos que nem sonhávamos naquela época.

Para aqueles que estão interessados apenas em conversar, sem se preocupar muito com o lado técnico, podem simplesmente comprar um rádio digital, um dispositivo hotspot conectado à internet e até pagar a alguém mais experiente para configurar tudo. Dessa forma, operar no modo digital é tão simples quanto usar um celular ou bater papo na internet.

Por outro lado, o radioamadorismo analógico ainda requer o uso de tecnologias comuns nos velhos tempos, e, às vezes, é preciso ter conhecimento em eletrônica e habilidades manuais para construir parte dos equipamentos e antenas.

Independentemente da modalidade escolhida, o mais importante é a possibilidade de conversar e ser ouvido por pessoas de todo o mundo.

Abaixo dois vídeos que explanam, com detalhes, o mundo do radioamadorismo moderno.


Radioamadorismo um hobby para o século 21

Descobrindo o Radioamadorismo


QRZ.COM


O QRZ.com é um site amplamente conhecido na comunidade de radioamadores.

Fundado em 1992, o QRZ.com é uma plataforma online que fornece uma variedade de serviços e recursos para radioamadores em todo o mundo. Alguns dos principais recursos e serviços oferecidos pelo QRZ.com incluem:

Banco de Dados de Radioamadores: O site mantém um banco de dados extenso de informações sobre radioamadores de todo o mundo. Isso inclui detalhes sobre suas licenças, indicativos de chamada, localizações geográficas e outras informações relevantes.

Fórum de Discussão: O QRZ.com possui fóruns de discussão onde os radioamadores podem interagir, discutir tópicos relacionados à radiocomunicação, trocar informações e fazer perguntas.

Registros de Contatos: Os radioamadores muitas vezes registram seus contatos (QSOs) com outros radioamadores, e o QRZ.com permite que eles mantenham um registro dessas comunicações.

Informações sobre Equipamentos: O site oferece informações sobre equipamentos de rádio, antenas, transceptores e outros dispositivos relacionados à radiocomunicação.

Notícias e Recursos Educacionais: QRZ.com também fornece notícias e recursos educacionais relevantes para a comunidade de radioamadores, incluindo informações sobre regulamentações, tecnologia e práticas recomendadas.

Serviços Premium: O site oferece serviços premium pagos que fornecem funcionalidades adicionais, como acesso a informações de contato detalhadas de outros radioamadores e outros recursos exclusivos.

Em resumo, o QRZ.com pode ser comparado ao "Facebook" dos radioamadores, é uma plataforma online que serve como um hub de informações e interação para a comunidade de radioamadores. É amplamente utilizado para ajudar radioamadores a se conectarem, compartilharem informações e aprimorarem suas atividades de radiocomunicação, pode ser comparado ao "Facebook" dos radioamadores.


Minha página no QRZ.com

Meu primeiro registro no Logbook do QRZ.com



Radioamadorismo em situações de emergência


O radioamadorismo desempenha um papel importante em situações de emergência, fornecendo uma comunicação confiável quando outros meios de comunicação podem estar indisponíveis. Aqui estão algumas maneiras pelas quais os radioamadores ajudam em situações de emergência:

Comunicação de backup: Em situações de desastre natural, como terremotos, furacões ou inundações, as infraestruturas de comunicação convencionais, como telefonia celular e rádio FM, podem falhar. Os radioamadores podem fornecer uma rede de comunicação de backup, permitindo que equipes de resgate, agências de resposta a emergências e comunidades locais se comuniquem.

Rede de informações: Os radioamadores podem ser usados para transmitir informações vitais sobre a situação de emergência, como atualizações sobre condições climáticas, estradas bloqueadas, áreas afetadas e necessidades de socorro. Eles podem funcionar como relés de informações, conectando pessoas em diferentes locais.

Coordenação de resgate: Os radioamadores podem coordenar esforços de busca e resgate, transmitindo mensagens entre equipes no campo e postos de comando. Eles podem ajudar a localizar pessoas desaparecidas, monitorar áreas de risco e fornecer atualizações em tempo real.

Ajuda humanitária: O radioamadorismo também desempenha um papel fundamental na coordenação de esforços de ajuda humanitária, conectando organizações de socorro e agências governamentais com informações sobre necessidades e recursos disponíveis.

Treinamento e preparação: Muitos radioamadores se preparam para situações de emergência através de treinamento contínuo e exercícios regulares. Isso os torna capazes de agir de forma eficaz quando ocorre uma crise.

Redes de radioamadores de emergência: Em muitos países, existem grupos de radioamadores dedicados a situações de emergência. Eles mantêm estações de rádio prontas para uso imediato em caso de desastre e podem ser mobilizados rapidamente.

Equipamentos autossuficientes: Radioamadores geralmente possuem equipamentos de comunicação autossuficientes que podem funcionar com energia de baterias, geradores ou painéis solares, o que os torna independentes da infraestrutura elétrica comum.

É importante notar que, para participar de operações de radioamadorismo em situações de emergência, os operadores de rádio devem estar de acordo com as regulamentações locais e nacionais, bem como coordenar suas atividades com as agências de resposta a emergências para garantir que sua contribuição seja eficaz e não interfira com operações de resgate profissionais. Em muitos países, o radioamadorismo é regulamentado por leis e exige a obtenção de uma licença. 

No Brasil a Rede Nacional de Emergência de Radioamadores (RENER) é uma rede de coordenação de radioamadores que se dedica a apoiar a Defesa Civil em situações de emergência e desastres. A RENER é um sistema de comunicação de backup que reúne radioamadores voluntários treinados e licenciados que podem fornecer comunicações confiáveis quando os sistemas de comunicação convencionais falham durante desastres naturais, crises de saúde pública, ou outras situações de emergência.

Essas redes de radioamadores são usadas para transmitir informações críticas, coordenar esforços de busca e resgate, facilitar a comunicação entre equipes de resposta a emergências e manter a comunidade informada sobre as condições e necessidades durante uma crise. Eles possuem equipamentos de comunicação autossuficientes e estão bem preparados para operar em condições adversas.

A RENER (Rede Nacional de Emergência de Radioamadores, desempenha um papel importante na segurança pública e na resposta a desastres, fornecendo uma camada adicional de comunicação confiável e redundante para ajudar a proteger vidas e propriedades em momentos críticos.


Como curiosidade em 10/10/23, data do início dos ataques do Hamas à Israel, comecei a monitorar o TalkGroup 425 da rede Brandmeister. Este TG é o TG de Israel e, talvez pelo motivo da guerra, não há atividade de radioamadores israelenses neste grupo. Radioamadores de outros países, principalmente dos EUA, ingressam constantemente embora ninguém fale nele. 

Somente hoje, dia 16/10/23, registrei a breve atividade de ingresso de um radioamador de Israel. 


TG 425 de Israel



O Radioamador sendo Radioamador, upgrade no headset do Baofeng


Os rádios da Baofeng oferecem uma relação custo-benefício raramente superada. A cada dia, a qualidade dos seus produtos continua a melhorar, apresentando produtos bem acabados, de uso fácil e confiáveis.

No entanto, lamentavelmente, essa qualidade não se estende aos headsets fabricados pela Baofeng e aos clones disponíveis no mercado. Esses headsets possuem um design que não favorece o manuseio, além de não oferecerem conforto nem discrição.

Em busca de uma solução, decidi modificar um dos meus headsets, substituindo o transdutor de tipo Ear Buds de baixa qualidade, por um fone In-Ear de melhor qualidade e maior conforto.

A adaptação é relativamente simples, exigindo apenas um ferro de solda, um estilete e um pouco de habilidade. Como resultado, o uso do headset tornou-se muito mais confortável, discreto e com uma qualidade de áudio significativamente aprimorada.


Headset original


Comparativo entre o original Ear Bud e o In-Ear


Montagem do In-Ear


O novo headset pronto


O Hotspot, ponto de acesso as redes digitais de radioamadorismo


A comunicação com o rádio digital pode ser feita de três formas

-Direto de rádio para rádio
-Através de uma repetidora digital 
-Através de um Hotspot, conectado a uma rede digital de radioamadores através da internet.

Um hotspot radioamador é um dispositivo que permite que radioamadores acessem redes digitais de rádio, como as redes DMR (Digital Mobile Radio), D-STAR, Fusion (C4FM), P25 e outras, por meio da internet. Hotspots são populares entre radioamadores que desejam se comunicar por voz ou dados em redes digitais, mesmo quando não estão dentro do alcance de repetidores ou estações terrestres que operam nesses modos de comunicação.

Um hotspot single slot comercial, vendido no Aliexpress

Meu hotspot dual slot  DIY



Aqui estão algumas características e funções comuns dos hotspots radioamadores:

Conexão à Internet: Os hotspots se conectam à internet, geralmente via Wi-Fi ou conexão Ethernet com fio. Isso permite que os radioamadores acessem as redes digitais a partir de qualquer lugar com acesso à internet.

Compatibilidade com Modos Digitais: Os hotspots são projetados para funcionar com diferentes modos digitais, dependendo do modelo. Isso inclui DMR, D-STAR, Fusion, P25 e outros. Cada modelo pode ser específico para um ou vários desses modos.

Conexão ao Rádio: Os hotspots se conectam ao seu rádio com um cabo, que é geralmente um cabo USB ou uma conexão Bluetooth. Isso permite que você use seu rádio para transmitir e receber sinais através do hotspot.

Seleção de Talkgroups e Reflectores: Hotspots permitem que os radioamadores escolham entre diferentes talkgroups (grupos de discussão) ou reflectores para participar de conversas específicas na rede digital.

Portabilidade: Alguns hotspots são projetados para serem portáteis, permitindo que você os leve para diferentes locais e use sua conexão à internet para acessar as redes digitais. Isso pode ser útil para radioamadores em movimento ou viajantes.

Configuração e Gerenciamento: A configuração e gerenciamento de hotspots geralmente é feita por meio de um aplicativo ou interface web, onde você pode inserir informações como seu ID de radioamador, a rede digital desejada e outras configurações.

Os hotspots oferecem uma maneira flexível de acessar as redes digitais de rádioamadorismo e se comunicar com outros radioamadores em todo o mundo, independentemente da sua localização geográfica. Eles são particularmente úteis para radioamadores que desejam explorar a tecnologia digital e participar de comunicações de grupo em redes específicas. Lembre-se de operar seu hotspot em conformidade com as regulamentações de rádio do seu país.


Fluxo da comunicação através da rede BrandMeister



Meu Hotspot Dual Slot - Uma Construção Simples


Com base em informações reunidas em diversos sites e vídeos na internet, criei meu próprio hotspot dual slot. Utilizei como ponto de partida uma placa Raspberry Pi 3B e um modem MMDVM chinês adquirido no Aliexpress. Existem outros projetos que empregam diferentes placas de controle e até mesmo conectam o modem a um computador por meio de um adaptador USB.

A montagem desse dispositivo é notavelmente descomplicada, resumindo-se basicamente à conexão do modem ao conector de expansão da Raspberry Pi.

Os componentes essenciais necessários são:

1. Uma placa Raspberry Pi 3B ou Raspberry Pi Zero W.
2. Uma placa de modem MMDVM, como as disponíveis no Aliexpress (é possível optar por uma placa single slot).
3. Um cartão Micro SD de 16 GB, classe 10 ou superior.
4. Uma fonte de alimentação de 5V com capacidade de 3A.
5. Uma caixa para acondicionar o conjunto. Existem caixas plásticas pré-fabricadas no mercado.

Eu escolhi utilizar um estojo genérico para Raspberry Pi, que foi modificado para manter a construção o mais compacta possível. Esse case abrigou a Raspberry Pi, o modem, um microventilador e um display de 1,2 polegadas (O original da placa MMDVM tem 0,9 polegadas).



Os componentes do Hotspot

Fundo do case com o micro ventilador e circuito para 
controlar a velocidade automaticamente.

Micro ventilador sendo controlado automaticamente



Raspberry Pi dentro do case modificado


Hotspot pronto e em operação

Continua...



Miklor.com -  Radio Information Site 


Miklor é  um site dedicado a informações sobre rádio, especialmente rádios bidirecionais (walkie-talkies) e equipamentos relacionados. O site Miklor fornece recursos como manuais de usuários, programação de rádio, e informações técnicas sobre diversos dispositivos de comunicação por rádio.

Vale a pena conferir:  https://www.miklor.com/



WORLDWIDE CHECK-IN 



https://www.icculus.org/~hamish/worldwidecheckin/x


Tabela de prefixos que responderam a chamada, somente 10 no Brasil (com a estrela verde)




O evento Worldwide Check-In para radioamadores, todos os sábados as 16:00hs UTC no TG91 da rede Brandmeister, é uma oportunidade para os entusiastas do rádio de todo o mundo se conectarem e fazerem check-in em um determinado momento. Geralmente, esses eventos são organizados para reunir radioamadores de várias localidades, permitindo que eles se comuniquem, compartilhem informações sobre suas estações de rádio, troquem cumprimentos e, às vezes, até coletem informações para concursos ou atividades relacionadas ao rádio.

Para demonstrar o alcance internacional do DMR Para fornecer uma Rede para interação (mesmo que apenas check-ins) com radioamadores fora da área local e fora de um grupo de interesse específico (a maioria das Redes é limitada a um ou ambos os tipos). Além de conduzir uma rede mundial TG91 aos sábados, nosso outro objetivo importante é ajudar os colegas radioamadores, especialmente nossos jovens entusiastas do rádio amador que acabaram de aprender a etiqueta adequada do rádio amador e, como a maioria deles está no QRX, todos nós gostaríamos que fosse agradável e educativo para todos eles e, para esclarecer alguns assuntos importantes e fazer algumas "sugestões". Mais especificamente, a intenção é que nossos Controladores de Rede forneçam bons exemplos de procedimentos operacionais durante a Rede, incluindo o uso correto do Alfabeto Fonético Internacional. TG91 NÃO É UMA TG/CANAL APENAS DE FALA EM INGLÊS: TG91 promove camaradagem em todo o mundo. É injusto com nossos colegas radioamadores que não podem falar/entender inglês se indicarmos que TG91 é apenas para estações que falam inglês, portanto, devemos recebê-los e tentar entender a todos. Sempre podemos usar os códigos Q caso duas estações não consigam se entender devido a diferenças de idioma. Se estivermos conduzindo uma rede mundial TG91 aos sábados e algum colega radioamador continuar interrompendo nosso controlador de rede ou chamando fora de ordem porque ele/ela não entende o que está acontecendo, pois não compreende inglês tamPara demonstrar o alcance internacional do DMR Para fornecer uma Rede para interação (mesmo que apenas check-ins) com radioamadores fora da área local e fora de um grupo de interesse específico (a maioria das Redes é limitada a um ou ambos os tipos). Além de conduzir uma rede mundial TG91 aos sábados, nosso outro objetivo importante é ajudar os colegas radioamadores, especialmente nossos jovens entusiastas do rádio amador que acabaram de aprender a etiqueta adequada do rádio amador e, como a maioria deles está no QRX, todos nós gostaríamos que fosse agradável e educativo para todos eles e, para esclarecer alguns assuntos importantes e fazer algumas "sugestões". Mais especificamente, a intenção é que nossos Controladores de Rede forneçam bons exemplos de procedimentos operacionais durante a Rede, incluindo o uso correto do Alfabeto Fonético Internacional. TG91 NÃO É UMA TG/CANAL APENAS DE FALA EM INGLÊS: TG91 promove camaradagem em todo o mundo. É injusto com nossos colegas radioamadores que não podem falar/entender inglês se indicarmos que TG91 é apenas para estações que falam inglês, portanto, devemos recebê-los e tentar entender a todos. Sempre podemos usar os códigos Q caso duas estações não consigam se entender devido a diferenças de idioma. Se estivermos conduzindo uma rede mundial TG91 aos sábados e algum colega radioamador continuar interrompendo nosso controlador de rede ou chamando fora de ordem porque ele/ela não entende o que está acontecendo, pois não compreende inglês também, nós, controladores de rede TG91, conversaremos educadamente com eles e explicaremos sobre a chamada mundial da rede TG91, bem como outros assuntos usando seu próprio idioma não inglês. bém, nós, controladores de rede TG91, conversaremos educadamente com eles e explicaremos sobre a chamada mundial da rede TG91, bem como outros assuntos usando seu próprio idioma não inglês.


Fazendo check-in no evento




ADICIONANDO UM BOTÃO DE DESLIGAMENTO PARA O HOTSPOT



Hotspot simplex com botão para shutdown


Uma das situações que pode danificar seu hotspot construído com Raspberry Pi é desligá-lo antes de usar o comando "shutdown", seja pelo software Pi-Star, W0CHP ou através de um comando no rádio.

Desligar abruptamente o Raspberry Pi sem passar pelo processo de desligamento seguro pode corromper o cartão SD, resultando na necessidade de reconfigurar todas as definições ou, caso tenha feito um backup preventivo, restaurá-lo.

Muitas vezes, desconectamos do Pi-Star, desligamos o rádio e, inadvertidamente, esquecemos de desativar corretamente o hotspot.

O que fazer?

Uma solução é instalar um botão de desligamento no Raspberry Pi. Ao pressionar esse botão, basta aguardar cerca de um minuto e, em seguida, desligar a energia com segurança. O Pi-Star opera em uma plataforma Linux, o que teoricamente permite o uso de muitos recursos desse sistema e até mesmo a instalação de pacotes de software. Portanto, é viável instalar um botão para desligamento e configurá-lo para enviar o sinal de desligamento ao Linux.

Existem vários projetos e scripts disponíveis na internet que explicam diferentes maneiras de fazer isso, porém, a mais simples e leve é utilizar recursos nativos já presentes no Pi-Star.

*DTOVERLAY**

DTOVERLAY é um recurso no Raspberry Pi que possibilita carregar e configurar módulos de hardware no sistema. Esse comando é utilizado no arquivo de configuração do bootloader do Raspberry Pi para carregar sobreposições (overlays) que habilitam ou configuram periféricos ou funcionalidades específicas do hardware.

Essas sobreposições ajudam a ativar recursos como interfaces GPIO, módulos de câmera, interfaces de tela, dispositivos de áudio, entre outros. Elas facilitam a configuração e ajuste do hardware de acordo com as necessidades do projeto.

Vamos utilizar o comando DTOVERLAY para configurar um dos pinos GPIO disponíveis para receber o sinal de um botão do tipo Pushbutton de contato momentâneo e dois jumpers.

*HARDWARE*

Para isso, você precisará de:

- Um fio jumper com dois conectores fêmeas. Este fio deve ser cortado ao meio para obter dois fios com um conector cada.
- Um interruptor de contato momentâneo (Tact Switch) ou similar. 

Será necessário ter alguma experiência com soldagem para conectar os fios ao interruptor.




- Após os jumpers serem soldados ao interruptor, conecte-os nos pinos GND e GPIO18 do Raspberry PI. Será necessário entortar um pouco os pinos.





- Prenda o interruptor onde for conveniente na sua caixa. Cuidado com caixas metálicas que podem causar curto-circuito. Isole as conexões caso seja necessário. No meu caso, colei na propria placa do MMDVM com um pouco de cola quente.






*SOFTWARE*

Não é necessário escrever nenhum código; apenas acrescente a seguinte linha no final do arquivo /boot/config.txt` no sistema do Pi-Star:


*MODIFICANDO O ARQUIVO `/boot/config.txt`*

Se você estiver usando o W0CHP ao invés do Pi-Star, que possui uma interface mais visual e rica em recursos, e está constante atualizaçao faça backup das suas configurações do Pi-Star antes de instalar o W0CHP.


Com o W0CHP instalado (ou mesmo no Pi-Star), use o terminal disponível para modificar o arquivo /boot/config.txt:

1) No W0CHP, clique em "Configurations".



2) Em seguida, clique em "Advanced".



3)  Depois, selecione "Tools" e "SSH Access".



4) No terminal que abrir, faça login com User: `pi-star` e senha: `raspberry`(sem aspas).



5) Abra o arquivo com o comando `sudo nano /boot/config.txt` (sem aspas).

6) Desça até o final do arquivo e digite ou cole a seguinte linha: `dtoverlay=gpio-shutdown,gpio_pin=18,active_low=1,gpio_pull=up` (sem aspas).



7)  Saia do programa nano salvando as alterações com o comando ^X (control X)

8) Reinicie o Raspberry Pi usando o comando: `sudo reboot`.


Se tudo estiver configurado corretamente, agora você pode desligar o sistema usando o botão instalado, sem o risco de corromper o cartão SD.

Apos pressionar o botão, sempre aguarde pelo menos 1 minuto antes de tirar a energia do Raspberry Pi.






Essas instruções foram baseadas no vídeo e artigo de Andreas Spiess, disponíveis em:




PREPARANDO-SE PARA OS NOVOS TEMPOS






O radioamadorismo mantém uma relevância notável nos dias de hoje, especialmente diante dos conflitos e desafios contemporâneos. Enquanto muitas formas de comunicação dependem da infraestrutura digital, o radioamadorismo se destaca por sua resiliência, capacidade de comunicação em situações de emergência e independência de redes convencionais.

Nos tempos atuais, marcados por incertezas geopolíticas, desastres naturais e até mesmo emergências de saúde pública, o radioamadorismo revela-se vital. Em situações de desastres naturais, quando as redes de comunicação convencionais podem falhar, os radioamadores entram em ação, estabelecendo comunicações de emergência que são cruciais para coordenação de resgate, fornecimento de ajuda humanitária e compartilhamento de informações vitais.

Além disso, em meio a conflitos geopolíticos e tensões, o radioamadorismo desempenha um papel significativo na manutenção das comunicações independentes. Em áreas onde as comunicações são restritas ou controladas, os radioamadores podem fornecer uma linha vital de comunicação, ajudando a transmitir informações importantes, promovendo a troca de conhecimento e até mesmo facilitando a conexão entre pessoas em regiões isoladas.

A flexibilidade e a capacidade de operar em diversas frequências fazem do radioamadorismo uma ferramenta valiosa para a troca de informações, não apenas em momentos de crise, mas também no dia a dia. Seja compartilhando conhecimento técnico, promovendo a cultura da rádio, explorando novas tecnologias ou estabelecendo redes de comunicação de longa distância, os radioamadores desempenham um papel essencial na conectividade global.

Em um mundo onde a dependência de sistemas digitais é crescente, o radioamadorismo destaca-se como uma reserva confiável de comunicação, atuando como uma rede de segurança nos momentos em que as infraestruturas convencionais podem se tornar inacessíveis. Sua importância nos novos tempos reside não apenas na sua resiliência técnica, mas também na sua capacidade de unir pessoas, promover a solidariedade e proporcionar um meio de comunicação independente e confiável em meio a desafios e conflitos atuais.


VITOR, o menor cão tático do mundo.

Vitor com seu BAOFENG UV5R


Um Feliz Natal a Todos!





Meu hotspot portátil

Ao ingressar nos modos digitais de radioamadorismo construí um hotspot dual, o qual utilizo como um dispositivo fixo em minha residência. Recentemente, adquiri um modem MMDVM single para usá-lo como um hotspot móvel portátil. Assim como fiz com o hotspot dual, troquei o display original de 0,96 polegadas por um de 1,3 polegadas, ambos azul e branco, respectivamente.

Por ser portátil, a energia é proveniente de um módulo UPS com uma bateria 18650 de 2200 mAh. Com esse UPS, consigo uma autonomia de mais de 5 horas de funcionamento contínuo, o que é suficiente para utilização em viagens ou durante a noite em um quarto de hotel.

Acomodei o hotspot em uma caixa plástica padrão, do fabricante PATOLA (PB-008), realizando alguns cortes e furos para acesso aos conectores e ao soquete do cartão SD. Usar uma caixa plástica, com certeza, melhorou o acesso através da rede WIFI.

O UPS ainda terá uma caixa plastica, assim o conjunto pode ser facilmente acomodado em uma mochila, mala ou no porta-luvas do carro.

O resultado final ficou bastante satisfatório.








Mais um ano se vai!  Que 2024 venha cheio de boas novidades e realizações!